202104.26
0

O que são NFTs e como funciona esta tecnologia

Talvez você não conheça esta tecnologia, mas não se trata de tecnologia futurista, afinal já é realidade no mercado das artes digitais e coleções e, inclusive, já movimenta milhões de dólares pelo mundo (US$250,8 milhões em 2020, segundo a empresa Non Fungible). NFT é a sigla correspondente à expressão criada em inglês non fungible token, que, traduzido ao português, significa token não fungível. O mecanismo tecnológico é muito interessante e sua utilização se revela cada vez mais promissora.

Através do surgimento da rede Blockchain (uma estrutura de base de dados que realiza o registro de transações enquanto garante segurança, transparência e descentralização) muitas inovações vêm sendo criadas, como, por exemplo: as criptomoedas, os contratos inteligentes e inclusive os NFTs.

Os NFTs surgiram como meio para registro de propriedade de um ativo único e sua finalidade está muito atrelada ao registro de artes digitais, mas não se limita a estas, ou seja, trata-se de um certificado de propriedade digital. O seu funcionamento, para ser compreendido facilmente, pode ser comparado ao registro em cartorário de uma casa, no qual constará o registro de propriedade e ninguém mais poderá reivindicá-la, a não ser o proprietário que lá consta. No caso dos NFTs, a aplicação é exclusiva a itens digitais que o proprietário entenda necessário registrar a autoria.

O NFT será “cunhado” (expressão dada ao processo de registro do NFT) em uma rede de Blockchain, que geralmente é na rede da criptomoeda Ethereum, oportunidade em que o proprietário que realiza a sua cunhagem irá carregar o arquivo digital e apontar suas características. Posteriormente, naquela rede Blockchain, o NFT poderá ser comercializado, o que geralmente é feito em leilões. Após o arremate do NFT a propriedade deste é transferida ao arrematante, sendo-lhe fornecido um token (cadeia de código) que lhe conferirá a propriedade daquele NFT, que será armazenado na sua carteira de criptomoeda, podendo se beneficiar da proteção da criptografia da rede Blockchain.

Dessa forma, você pode criar um NFT para registrar determinado item visando vendê-lo, através da rede Blockchain, como também, comprar um NFT apostando na sua valorização. Como exemplo disso, podemos citar o leilão de um álbum musical da banda Kings of Leon, registrado em NFT, que arrecadou US$2 milhões.

Além do exemplo acima, o que evidenciou o mercado dos NFTs foi a recente venda (em 11 de março de2021) de um NFT pelo valor de US$69 milhões. Trata-se de uma obra registrada em um NFT que foi denominada “Everydays – The First 5000 Days”, do artista digital Mike Winkelmann. Mike elaborou uma enorme arte digital, contendo 21.069 x 21.069 pixels. As primeiras ilustrações de Mike iniciaram em maio de 2007 e se estenderam por 14 anos. Como seu próprio nome já diz, trata-se de uma compilação de 5 mil dias de trabalho.

Em face disso, os NFTs trazem a possibilidade de registro de autoria em bens suportados em meio digital, e, além de conferir proteção e certeza da autoria inequívoca, são encarados como potenciais ativos a serem utilizados no mundo das finanças descentralizadas e principalmente um renovador meio para autenticação de propriedade.

Fonte: Gustavo Tonet Fagundes