200607.23
0

A MELITTA compra a CAFÉ BOM JESUS

A Melitta do Brasil anunciou nesta segunda-feira, 16 de janeiro, a aquisição da Café Bom Jesus, uma das mais importantes indústrias de café do Sul do país, com sede em Bom Jesus. A Melitta manterá e desenvolverá no mercado a marca Café Bom Jesus, criada pela família Rocha em 1963, com o objetivo de industrializar e comercializar toda sua linha de café.

A marca Café Bom Jesus é líder na região de Caxias do Sul, sendo uma das mais reconhecidas em todo o Estado do Rio Grande do Sul e reúne mais de 70 funcionários.

A negociação durou cerca de um ano e contou com o assessoramento e contou com o assessoramento do escritório Zulmar Neves Advocacia na formatação jurídica da negociação entre a tradicional indústria gaúcha de café, líder na região de Caxias do Sul, e a Melitta.

“Estamos muito satisfeitos com esta aquisição, pois ela cumpre com o nosso objetivo de participar cada vez mais no mercado de cafés no país”, afirmou o presidente da Melitta do Brasil, Bernardo Wolfson.

Para os atuais donos da Café Bom Jesus, representada por Antônio Irineu da Rocha, a transferência do controle da empresa à Melitta do Brasil reflete um novo momento na vida da família atenta aos desafios e oportunidades do mercado. “O cenário do café na região Sul do país mudou e nós acompanhamos esse movimento com muita segurança e determinação para transferirmos o controle da empresa.Para isso, buscamos não apenas um comprador, mas um grupo que, como a Café Bom Jesus, apresentasse uma base familiar e estivesse muito focada no consumidor, na inovação e na qualidade, por isso nossa escolha foi negociar com a Melitta do Brasil”, afirma Antônio Irineu da Rocha.

A Melitta do Brasil é líder de mercado no segmento de cafés embalados a vácuo e segunda marca nacional entre os cafés torrados e moídos, segundo a AC Nielsen. No Sul do Brasil, a empresa detém a liderança com 26% de participação no segmento de café.

A companhia Melitta está presente em mais de 60 países e, em 2004, apresentou um faturamento de mais 1 bilhão de Euros. A matriz acredita muito no potencial de sua subsidiaria brasileira que, nos últimos três anos, cresceu 85%, atingindo em 2005 um faturamento de R$ 370 milhões, ou seja, mais de 120 milhões de Euros.

Fonte: Zulmar Neves Advocacia